Mercado NFT considerado culpado de emitir tokens roubados na China


Um tribunal em Hangzhou, província de Zhejiang, na China, entrou com uma ação de violação de direitos autorais contra a BigVerse, a empresa por trás da plataforma NFTCN NFTCN. O South China Morning Post informou sobre isso.

O demandante Qi Ce alega que um usuário da plataforma se apropriou indevidamente do trabalho do artista Ma Qianli. Uma pessoa desconhecida cunhou o NFT e o vendeu por 899 yuans (US$ 137 no momento da redação).

A plataforma NFTCN foi considerada culpada de “ajudar a violação de propriedade intelectual”. Segundo o tribunal, a empresa não verificou se o usuário era realmente o autor da obra.

A BigVerse deve pagar à Qice 4.000 yuans (US$ 610) em danos e parar de distribuir NFTs. De acordo com a publicação, estamos falando da queima de tokens.

Lembre-se que no final de 2021, as autoridades chinesas alertaram que os NFTs e o Metaverse poderiam se transformar em bolhas, esquemas Ponzi ou outros tipos de fraude financeira.

Mais tarde, foi revelado que uma infraestrutura seria implantada para suportar NFTs independentes de criptomoedas com base na plataforma blockchain nacional BSN.

Inscreva-se no canal ForkLog no YouTube

Encontrou um erro no texto? Selecione-o e pressione CTRL+ENTER

Fonte da informação: compilado do FORKLOG por 0x informação.Os direitos autorais pertencem ao autor ForkLog, e não podem ser reproduzidos sem permissão

Total
0
Shares
Related Posts